• Qua

  • 21:00
  • R$ 39.00
  • Espaçonave

Espaçonave

'branco' é o primeiro trabalho autoral do ator - e estreante dramaturgo e diretor - Lucas Prado.

A dramaturgia da peça parte do conceito de 'pacto narcísico da branquitude', de Cida Bento, para explorar a relação de amor do homem branco com sua própria imagem e seus privilégios, sua incapacidade de responsabilização perante os próprios atos, além do impulso destruidor que impõe e do encanto que, paradoxalmente, exerce sobre o mundo. Mesclando registros de atuação que vão do stand-up comedy ao melodrama, passando pela tragicomédia e pelo hipernaturalismo, 'branco' se apoia em uma teatralidade radical para expor questões relacionadas à realidade da raça branca, sua perigosa falta de consciência sobre si e as violências em que isso deságua. O que a peça propõe é, em suma, uma necessária e urgente reflexão da branquitude sobre si mesma.

Sobre o ator/autor:


Lucas iniciou seus estudos em teatro nas oficinas de criação e montagem de grupos participantes do projeto Usina Das Artes, como o GrupoJogo e o Teatro Sarcáustico, entre os anos de 2014 a 2016. Seus trabalhos profissionais incluem as montagens de 'As Trevas Ridículas', com direção de Alexandre Dill, em 2017, 'Tremor', com direção de Lucca Simas, em 2018, ambas dentro do Projeto Transit (parceria do Goethe Institut Porto Alegre com o Festival Palco Giratório/SESC), além de F.R.A.M.E.S., direção de Carlos Ramiro Feinsterseifer, em 2019, trabalho pelo qual foi indicado, em 2020, ao prêmio Açorianos de Melhor Ator Coadjuvante.

Sinopse do espetáculo:


No alto de um pedestal sobre o qual simplesmente já se encontra, um homem branco delira sobre ser, ao mesmo tempo, um Deus, um Rei e uma vítima desorientada. O branco enfeitiçado pela câmera frontal percebe com terror a iminência de um chamado a responsabilizar-se - é irresponsabilizável. As águas na quais flutua estão infectas com lama, cinzas e sangue e já não refletem sua figura. O homem branco percebe agora rachaduras no seu velho pacto com o espelho, e se vê isolado o com o seu próprio mal estar.

Ficha técnica:


Atuação, direção e dramaturgia: Lucas Prado
Assistência de direção, operação de luz e som: Bruno Mros e Pâmela Manica
Produção: Bruno Mros, Lucas Prado e Pâmela Manica
Fotos e vídeos: Pâmela Manica
Arte: Giovana Nogueira
Apoio: Grupo Cerco
Colaboração: Fernanda Petit, João de Ricardo, Luiza Waichel, Marcos Contreras e Maria Madureira

  • João Telles
  • esquina com
  • a Osvaldo Aranha
  • Porto Alegre - RS
  • 51 3012 2675 e 3012 5924
  • cartoes de credito